2016: o ano em que Tove Lo garantiu sua estadia fixa na música com "Lady Wood" • MAZE // MTV Brasil
MúsicaPosts

2016: o ano em que Tove Lo garantiu sua estadia fixa na música com “Lady Wood”

Victor Cavalcanti14544 views

Tove Lo nos pegou de jeito com seu Lady Wood esse ano. Já estávamos todo amorzinho com ela desde 2014 com o hit “Habits” e de suas várias colaborações desde então. Mas bateu um medo de que a garota sueca fizesse como um monte de cantores que repetem fórmulas até a gente se cansar deles. Com Lady Wood ela não só consegue entregar um projeto lindo, mas também mostrar sua identidade sem ser óbvia ou previsível, tanto por temática quanto por estilo e som.

O álbum foi muito bem recebido por público e critica, inclusive apareceu na Rolling Stone em terceiro lugar na lista de melhores álbuns do ano. Lady Wood é a primeira parte de um projeto duplo. Dentro do compacto, “Fairy Dust” e “Fire Fade” são os dois capítulos que iniciam essa história. Em 2017, Tove já promete uma segunda parte com mais dois capítulos, que são “Light Beam” e “Pitch Black”.

Além de explorar e fixar sua marca e identidade, Tove Lo ainda organizou um espaço para reverenciar universo pop que ela já faz parte. Na capa do álbum ela homenageia Like a Prayer da Madonna, lançado em 1989, olha só:

Para promover o projeto, Lo lançou um curta-metragem de pouco mais de 30 minutos com as músicas do primeiro capítulo do álbum. Com produção maravilhosa, muito bem dirigido por Tim Erem e cheio de momentos marcantes, Fairy Dust não é só uma boa peça de promoção, como um ótimo filme.

Cheio de danças proféticas contemporâneas, Fairy Dust é realista em alguns momentos e bem fantasioso em outros. Bem sexual e com vários planos-sequência, o projeto é bem artístico e merce seu tempo sim e não vamos dar sinopse, não gostamos de spoiler. Assista:

Estamos esperando curtas para todos os capítulos, amém?

Com Lady Wood, Tove Lo mostra que veio pra ficar. Estamos amando forte e esperando por muito mais em 2017.

Victor Cavalcanti
Comunicador formado pela Universidade Metodista, narcisista desde os 15 anos, artista desde sempre. O resto tu descobre por aí.