Oscar 2018: Uma Análise - Muitas certezas e algumas surpresas nas indicações da Academia • MAZE // MTV Brasil
FilmesLazer e EntretenimentoPosts

Oscar 2018: Uma Análise – Muitas certezas e algumas surpresas nas indicações da Academia

Luiz Henrique Oliveira2686 views

Todo mundo esperava que as indicações ao prêmio máximo do cinema trouxessem diversas certezas, visto que a temporada de prêmios que antecedeu ao anúncio que aconteceu hoje de manhã (23/01) já consolidava a carreira de diversos longas, que vinham sendo aclamados semanalmente pelas associações de críticos e sindicatos americanos. Quando a transmissão onde Tiffany HaddishAndy Serkis leram os nomes dos concorrentes terminou, ainda algumas dessas certezas caíram — e necessariamente isso não foi uma coisa muito ruim.

A seguir, vamos fazer uma breve análise de tudo que aconteceu hoje, com suas surpresas e cartas manjadas. Veja só:

Os tiros certeiros

Estava na cara que “A Forma da Água” lideraria a corrida pelo Oscar neste ano. Guillermo del Toro criou mais uma obra-prima (ao lado de “O Labirinto do Fauno“, este é seu melhor filme) e seu longa levou 13 indicações: Filme, Diretor e Atriz eram as grandes certezas, fora as categorias técnicas. Muita gente ficou assustada pelo fato do filme não ter sido indicado em Melhor Maquiagem, mas é sempre bom lembrar que o monstro aquático criado para o filme não foi fruto de uma maquiagem elaborada, mas sim de uma roupa de látex que o ator vestia; portanto, foi justamente indicado em Melhor Figurino.

“A Forma da Água”

Também não era surpresa que “Dunkirk” teria seu momento de glória. Com oito indicações, inclusive a Filme e Diretor (primeira indicação ao Oscar de Christopher Nolan nessa categoria), o drama de guerra divide com “A Forma da Água” a liderança nas indicações técnicas. Não era para menos: sendo o espetáculo visual que é, seria estranho se não estivesse com força nessas categorias. Também não surpreende ninguém o fato de “Três Anúncios para um Crime“, “The Post – A Guerra Secreta“, “Lady Bird – É Hora de Voar“, “Me Chame Pelo Seu Nome” e “Corra!” terem entrado na disputa pelo prêmio principal, juntamente com a indicação certa de “O Destino de Uma Nação“, puxado pelo favoritismo de seu ator principal, Gary Oldman — que ganhou tudo na temporada e seu prêmio é dado como certo. E no que diz respeito a atuações, Frances McDormand e Sam Rockwell (por “Três Anúncios de um Crime”), Alisson Janney (por “I, Tonya“) e Oldman são os nomes certos para vencer, a não ser que um surto coletivo de loucura baixe sobre os votantes.

O inesperado

Entretanto, o anúncio dos Oscars desse ano não ficou isento de surpresas. A maioria dos críticos e pessoas que acompanham as premiações davam como certa a indicação de James Franco na categoria de Melhor Ator, pelo seu “O Artista do Desastre“. Seu nome caiu, dando lugar ao veterano Denzel Washington, por “Roman J. Israel, Esq“; seu nome vinha aparecendo timidamente nas premiações anteriores. Assim como Armie Hammer e Michael Sthulbarg, de “Me Chame Pelo Seu Nome”, que despontavam como nomes certos em Ator Coadjuvante perderam a vaga para Woody Harrelson (de “Três Anúncios para um Crime”) e Christopher Plummer — sim, ele mesmo, o homem que substituiu Kevin Spacey às pressas quando ele foi cortado de “Todo o Dinheiro do Mundo” recebeu o reconhecimento da Academia, aos 88 anos. Nessa mesma categoria entrou Richard Jenkins, que é uma parte importante da alma de “A Forma da Água” e surpreendeu muita gente por não ser tão esperado, e certamente se beneficiou do hype do longa.

“Me Chame Pelo Seu Nome”

Em Atriz Coadjuvante, Holly Hunter (por “Doentes de Amor“) era dada como certa e não emplacou sua indicação. Em seu lugar, entrou Leslie Manville, de “Trama Fantasma“. Inclusive, o novo filme de Paul Thomas Anderson foi a maior surpresa de hoje: cotado apenas para Daniel Day Lewis como Melhor Ator, acabou recebendo mais quatro indicações: Filme, Diretor, Trilha Sonora e Figurino. Isso nem mesmo os maiores fãs do filme esperavam.

Por fim, surpreendente é a ausência de Martin McDonagh na categoria de Direção por “Três Anúncios por um Crime” e filmes como “I, Tonya” na categoria principal. Ambos eram dados como certezas e não tiveram os nomes figurando entre os indicados. No caso de Martin, sua vaga foi ocupada — com total justiça — por Jordan Peele, que dirigiu e roteirizou “Corra!” e foi nominado por ambos.

“The Post – A Guerra Secreta” decepcionou bastante, tendo apenas duas indicações, para Meryl Streep em Atriz e ao prêmio principal. Muito pouco para aquele que prometia ser um dos grandes filmes da temporada.

Nas outras categorias, a maior novidade foi a inclusão de “Logan” na categoria de Roteiro Adaptado. Absolutamente merecido, aliás. “Star Wars – Os Últimos Jedi” ganhou quatro indicações técnicas (Efeitos Visuais, Som, Edição de Som e Trilha Sonora) e “Em Ritmo de Fuga” levou três (Som, Edição de Som e Edição, para o qual é favorito), enquanto “Blade Runner 2049“, que antes estava nas pré-listas como indicado às categorias principais, levou cinco indicações técnicas.

Os mais indicados

O ranking de indicações desse ano ficou assim:

  • “A Forma da Água” possui 13 indicações e está em primeiro lugar;
  • “Dunkirk”, com oito, ficou em segundo;
  • “Três anúncios para um crime” em terceiro, com sete;
  • “O Destino de uma Nação” e “Trama Fantasma”, empatam em quarto com seis indicações;
  • “Lady Bird” conseguiu cinco indicações e está em quinto lugar;
  • “Corra!” tem quatro indicações, e está em sexto lugar;
  • “Blade Runner 2049”, esnobado nas categorias principais, levou cinco indicações e o sétimo lugar;
  • “Star Wars – Os Últimos Jedi” tem quatro indicações e ficou em oitavo lugar.

A entrega dos prêmios acontecerá no dia 4 de março. O MAZE fará um especial com resenha dos principais filmes indicados ao longo do mês de fevereiro, por isso não deixe de acompanhar!

Luiz Henrique Oliveira
Nasceu no interior de São Paulo em 1986 e escreve sobre cinema em blogs desde 2004. Curte drama, comédia e ficção científica, mas ama mesmo O Poderoso Chefão. Tem interesse no mundo geek, em música brasileira e pode ser facilmente confundido com o Chico Bento pelas ruas da capital paulista.