ESTREIA NETFLIX | "Mogli: Entre Dois Mundos" é um filme sombrio e poderoso • MAZE // MTV Brasil
FilmesResenhas

ESTREIA NETFLIX | “Mogli: Entre Dois Mundos” é um filme sombrio e poderoso

Luiz Henrique Oliveira889 views

Mogli: Entre Dois Mundos” nos transporta, mais uma vez, para a rica selva imaginada por Rudyard Kipling no final do século XIX. Entretanto, há diferenças gritantes no que diz respeito as adaptações anteriores e esta versão. Isso porque, se antes havia o temor do filme não ser palatável para crianças, aqui esse medo desaparece. O filme é corajoso ao dar a essa história um ar sombrio, mas que aumenta o seu poder e o fascínio sobre o espectador.

E o responsável por isso é ninguém menos que Andy Serkis. Um dos maiores e mais reconhecidos mestres da atuação em captura de movimento, Serkis escolheu esta história para começar sua carreira atrás das câmeras. E certamente foi uma boa escolha. A história tem tudo a ver com ele. Ainda mais quando se considera os animais da floresta. Eles obrigatoriamente teriam que ser feitos em computação gráfica. Essa área, Serkis domina como ninguém. Talvez por ter trabalhado com dezenas de diretores genias, como Steven Spielberg e Peter Jackson, ele também desenvolveu um ótimo senso para dirigir atores.

Em “Mogli: Entre Dois Mundos”, todos estão muito bem em cena. A captura de movimentos usada é impressionante. Atores como Christian Bale, Cate Blanchett e Benedict Cumberbatch tiveram seus rostos fundidos ao de animais. A mistura criou um efeito sensacional, e aliada a capacidade de interpretação desses atores, causou um resultado que beira a perfeição.

Entretanto, “Mogli: Entre Dois Mundos” sofre de um problema sério no que diz respeito aos outros efeitos visuais. A selva não convence, sendo muito artificial. Dá até um contraste com a qualidade imensa dos animais feitos com captura de movimento. Para quem gosta de imergir na narrativa, isso pode ser um problema.

Produzido pela Warner, o longa chega estreia agora através da Netflix. Veja a nossa crítica completa aqui:

Luiz Henrique Oliveira
Nasceu no interior de São Paulo em 1986 e escreve sobre cinema em blogs desde 2004. Curte drama, comédia e ficção científica, mas ama mesmo O Poderoso Chefão. Tem interesse no mundo geek, em música brasileira e pode ser facilmente confundido com o Chico Bento pelas ruas da capital paulista.