"PSA Tour": O retorno redentor de Fifth Harmony ao Rio de Janeiro • MAZE // MTV Brasil
Lazer e EntretenimentoMúsicaPostsResenhas

“PSA Tour”: O retorno redentor de Fifth Harmony ao Rio de Janeiro

João Batista494 views

Faz pouco mais de um ano quando o até então quinteto Fifth Harmony veio ao Rio de Janeiro para divulgar o álbum “7/27”. Entretanto, bastante gente naquela época ficou com um gostinho de quero mais (em vários aspectos).

O tempo passou, Camila Cabello saiu e o grupo se tornou um quarteto, e desde então sobrou para as meninas a missão de provar que elas conseguiriam fazer muito ainda. Com o lançamento do disco homônimo e a pesadíssima divulgação do mesmo, tá claro que elas estão se esforçando pra tal coisa – mesmo dividindo opiniões acerca do último compacto.

Opiniões à parte, as meninas conseguiram se redimir muito bem, obrigado, na noite da última sexta (06) aqui no Rio de Janeiro, quando subiram ao palco do Km de Vantagens Hall para apresentar a “PSA Tour”. Dinah, Ally, Normani e Lauren já chegaram mostrando pro que vieram desde o início do espetáculo, botando todo mundo pra cima com a dobradinha “Worth It”/”BO$$”, precedido por uma entrada digníssima e acompanhado de um coro ensurdecedor da plateia, que tinha todas as letras na ponta da língua.

Foto: João Batista / MAZE

O disco autointitulado também foi MUITO bem aproveitado do setlist. “Sauced Up”, o provável próximo single do “Fifth Harmony”, foi a primeira das novas a ser cantada e que, sem surpresas, foi muito bem recebida pelo público. Aliás, esse foi o ponto de maior “redenção” das meninas: se o “7/27” foi bastante ignorado quando sua turnê passou por aqui no ano passado, as meninas fizeram questão de colocar TODAS as músicas do terceiro álbum – de “Down” até “Bridges”, sem exceções. Certamente, uma turnê dos sonhos para qualquer fã.

A estrutura, dessa vez, também acertou. Menos preguiçosa e com direito à banda e backdrops para acompanhar as performances, o suporte visual foi forte. Se bem que, para os fãs ali presentes, só as meninas no palco já era o suficiente para arrancar gritos, lágrimas e coros de “mulherão da p*rra” em quase todos os intervalos – altos o suficiente para sufocar a acústica do ambiente, que não estava lá essas coisas.

Foto: João Batista / MAZE

Sobre as meninas, o que era bom só melhorou. Com o mesmo carisma que fez o mundo se curvar pra elas desde o X-Factor, elas revezavam entre sorrisos, rebolados, eu-te-amos e carões de diva. Um salve pra Normani Kordei, que aliás vem se destacando muito nessa era e desenvolvendo cada vez mais a sua persona performática. Lauren Jauregui, por sua vez, está cada vez mais solta nas coreografias enquanto Ally Brooke vem roubando a cena com suas notas prolongadas ao mesmo tempo em que Dinah Jane continua com sua postura de diva pop intacta.

Quem curte pop mainstream e não foi muito com a cara do álbum autointitulado do Fifth Harmony, com certeza poderá repensar seus conceitos após assistir à um show da “PSA Tour”. Setlist no ponto, banda afiadíssima, produção de respeito e um grupo de garotas talentosas que vem se esforçando cada vez mais para mostrar que, apesar de qualquer pesar, possui uma harmonia indestrutível.

João Batista
Dono, idealizador e fundador do labirinto. Genioso, carioca que não sabe sambar e amante da cultura pop desde 1991.