O impacto latino na música pop é mais real do que imaginamos • MAZE // MTV Brasil
EditoriaisMúsicaPosts

O impacto latino na música pop é mais real do que imaginamos

Victor Cavalcanti1088 views

Depois de quase quatro décadas, seria esse o momento dos latinos? Muros ao chão, estamos chegando.

Pelo finzinho dos anos 80 e começo dos anos 90, uma leva de artistas latino-americanos, juntamente com uma febre digamos que caliente começou a invadir o mercado internacional da música, grande parte na América do Norte.

Alejandro Sanz, Selena, Ricky Martin e Thalía foram alguns dos artistas que deixaram de apenas tocar nas rádios da América do Sul para invadir também as rádios americanas e internacionais. Talvez uma das causas deste fenômeno tenha sido o êxodo dos latinos para os Estados Unidos, que teve uma expressão grande neste mesmo período.

Foi tão forte que não demorou muito para que em 2000 fosse criado um Grammy especialmente para os latinos (pra não dizer que foi uma separação de culturas para evitar o domínio dos latinos na música internacional, rs), o que não impediu que artistas como Shakira ganhassem Grammys internacionais com projetos totalmente em espanhol.

Desde então, a cena musical latina vem ficado cada vez mais bem estruturada e forte, com divisões especializadas nas grandes gravadoras e cada vez mais presentes no consumo dos próprios latinos e internacionalmente.

Assim, nessas décadas sequentes o mercado vem dando oportunidade para artistas latinos entrarem na âmbito internacional, como aconteceu com Daddy Yankee apresentando a sensação reggaeton nos anos 2000, que permanece ainda hoje, e é um ritmo que inspira muitas produções americanas atualmente (pra não explanarmos para a apropriação, rs).

Ainda pelos anos 2000, o pop se fundiu forte com a músicas latina, e trouxe propostas ainda mais acessíveis as rádios pelo mundo. Enrique IglesiasBelinda e a banda RBD foram alguns do nomes que adentraram as paradas internacionais como se fossem uma garota americana produzida pelo Dr. Luke em 2010.

Mesmo com todos esses apontamentos grandiosos, aparentemente estamos presenciando nesses últimos anos uma força ainda maior dessas vertentes. Artistas como Ricky Martin e Shakira retornando suas origens latinas sem medo em seus novos trabalhos, e novatos com grande potência invadiram as paradas de forma massiva.

Estamos presenciando uma disposição maior do mercado e do público para a recepção desse estilo. Maluma, J Bavin e Prince Royce acendendo nas paradas com hits em espanhol e com ritmos totalmente latinos, podem ser um sinal de que esse ensaio de décadas pode ter acabado e essa seria a hora da música latina.

Sem contar no hit indiscutível de “Despacito”. Muita gente tem dado crédito ao Justin Bieber pelo sucesso da faixa, por questão de sua versão remix. Mas, pensa bem, você ouve por causa dos 20 segundos que ele canta no inicio em inglês ou pelo refrão “DES-PA-CITO”? Tu ouve é latinidade forte e se esquece completamente que tem um canadense ali no meio, admita.

Além de que, “Despacito” era hit antes de Justin, o vídeo da versão original já passa de um bilhão de visualizações. JB ajudou sim, mas aceita que a faixa já era boa e era sucesso sem nosso amorzinho Bieber. Vamos pensar: seria Luis Fonsi ganhando com a participação de Justin Bieber ou JB testando um novo estilo que pode ser a nova tendência das rádios?

Talvez todo o esforço para transformar o latino em algo secundário, sempre colocar em uma divisão “especial”, transformar as línguas latinas em uma linguagem que não pode ser internacional, pois “pra ser internacional tem que cantar em inglês”, talvez tenha acabado.

Para o momento, não podemos dizer se vai ser agora mesmo ou se os latinos vão dominar o mundo (rs), o importante é darmos o maior apoio aos nossos hermanos, pois está lindo ver essa diversidade de culturas nas paradas e queremos ver ainda mais isso (claro, feito por latinos, sem apropriação cultural por favor).

Para ficar no clima, fizemos uma playlist latina misturando clássicos e faixas novinhas em folha que já são hits ou que estão prontas para virar. Se liga:

Victor Cavalcanti
Comunicador formado pela Universidade Metodista, narcisista desde os 15 anos, artista desde sempre. O resto tu descobre por aí.