Os 10 melhores shows do Rock in Rio 2015 • MAZE // MTV Brasil
ListasMúsicaPosts

Os 10 melhores shows do Rock in Rio 2015

João Batista3 comments1416 views

Os últimos dias da semana foram bastante corridos para a nossa equipe. Quem acompanha o blog, certamente percebeu que não rolaram tantos posts novos como de costume. O motivo? O trigésimo aniversário do Rock In Rio, que parou a cidade do Rio de Janeiro e trouxe momentos incríveis para quem estava lá e também pra quem acompanhou tudo pela TV ou internet. Dessa vez, a organização do festival teve uma proposta gigantesca. Afinal de contas, são 30 anos que começaram com muita lama, que cresceu junto com uma geração de adoradores de música, e que encontra-se hoje como uma das maiores marcas quando o assunto é entretenimento.

Pensando nisso, resolvemos juntar aqui 10 dos nossos shows dos palcos Mundo e Sunset que foram os nossos favoritos desta edição. De momentos nostálgicos a memes que prometem marcar a internet por muito tempo, o que menos teve dessa vez foi público insatisfeito.

QUEEN + ADAM LAMBERT

As críticas relacionadas a desenvoltura de Adam Lambert como atual e honorário membro do Queen não foram suficientes para ofuscar o show principal do primeiro dia. Fazendo um tributo incrível e cheio de personalidade, era difícil encontrar alguém que não aparentava estar emocionado com o concerto. A banda cumpriu seu papel como entertainers e o público fez a sua parte soltando a voz e cantando junto do início ao fim. Todos foram campeões.

THE SCRIPT

Confesso que fiquei bastante surpreso com a recepção do The Script por aqui. Apesar de não possuírem um hit absoluto em terras tupiniquins, demonstraram energia e harmonia suficientes para animar todo mundo que estava ali. Danny O’Donoghue e cia. certamente conseguiram fazer a alegria dos fãs com um setlist caprichado.

ROCK IN RIO 30 ANOS

Por que não dar valor ao time da casa? Entre tantos gringos que fizeram check-in na Cidade do Rock, quem se destacou foram os artistas nacionais escalados para fazer um show de abertura da edição que celebrou dos 30 anos de Rock In Rio. Jota Quest, Ivete Sangalo, Blitz (!!!), Titãs, Andreas Kisser e mais um monte de gente conceituada da música brasileira fizeram um mega show e formaram no final um super grupo para cantar o tema do RIR de um jeito que deixaria Taylor Swift com inveja.

SetRIR_primeirofds0130

SetRIR_primeirofds0132 SetRIR_primeirofds0142 SetRIR_primeirofds0147

SEAL

Respeito máximo para uma das maiores figuras masculinas da música pop. Entre as famosas baladinhas e também algumas animadas, o britânico Seal entregou um set com muitos hits, carisma e seu característico sex appeal. Prova de que os amantes da boa música devem sempre manter vivo o legado do cara.

BABY DO BRASIL + PEPEU GOMES

Mais um gol do Brasil – e foi um gol de placa: foi a passagem de Baby do Brasil e Pepeu Gomes que rendeu um dos momentos mais emocionantes do 30º Rock In Rio. Enquanto Baby não deixou de lado sua faceta excêntrica em nenhum momento, Pepeu não aguentou a emoção e caiu no choro. Além disso, quem se juntou aos dois ícones foi o filho Pedro Baby, que também ajudou a enxugar as lágrimas do pai com um caloroso abraço. No setlist, não faltou hits dos tempos dourados de Baby.

SetRIR_primeirofds0493 SetRIR_primeirofds0491 SetRIR_primeirofds0490

QUEENS OF THE STONE AGE

Ainda que não fosse a atração principal da noite e tocando logo após a banda de Alice Cooper, Johnny Depp e Cia. (o Hollywood Vampires), o Queens of The Stone Age conseguiu manter o público animado e trouxe um repertório completíssimo e bem diverso, trazendo algumas das músicas mais recentes ao lado dos hits antigos que fizeram da banda um dos maiores nomes do rock atualmente. Josh Homme e sua trupe fizeram um espetáculo pra fã nenhum botar defeito e deixaram o público sem fogo com seus solos e os vocais inigualáveis do ruivo que arrancou suspiro de muita gente ali presente.

LULU SANTOS

Impossível mencionar atrações nacionais do Rock In Rio sem ao menos citar Lulu Santos. O atual técnico da versão brazuca do The Voice adquiriu ainda mais motivos para ter moral suficiente de figurar o line-up de uma edição tão importante como essa. Ao contrário de outras atrações que deram bastante ênfase para canções atuais, Lulu deu preferência para seus hits mais antigos e emblemáticos.

RIHANNA

O foco do segundo fim de semana foi Pop In Rio sim, e se reclamar vai ter Valesca Popozuda e MC Melody como headliner na próxima edição! Brincadeiras à parte, uma que causou alvoroço, polêmica, babado e confusão foi Rihanna. Sem sinal algum de álbum novo, seu show dividiu opiniões por todos os cantos. Há quem tenha reclamado do fato dela ter cantando todas as músicas pela metade, já uma outra parte colocou a moça lá em cima por tal feito. Confesso que ficamos nesse segundo grupo, afinal de contas foi com esse jeito que a apresentação rendeu 24 músicas de várias eras de sua carreira, além de parcerias e as atuais “FourFiveSeconds” e, claro, “Bitch Better Have My Money”.

ALUNAGEORGE

Na internet e na plateia só se ouvia comentários derivados de “who?”, mas quem disse que Aluna Francis se importou com isso? A conterrânea de Marina and the Diamonds e vocalista do projeto eletrônico AlunaGeorge carregou nas costas um show de cair o queixo regado à uma chuva intensa. Não demorou duas músicas para que a “turminha do who?” já estivesse dançando horrores ao som das batidas psicodélicas do duo.

KATY PERRY

Em seu aniversário, o Rock in Rio trouxe uma edição com shows impecáveis, e Katy Perry não ficou de fora desse quadro. A versão compacta da famigerada Prismatic Tour encerrou a edição de 30 anos com muita cor, hits, lágrimas e carisma. Muito longe de qualquer superestimação, Katy entregou uma mega produção que ficou anos luz a frente da sua passagem como artista secundária em 2011. Cantou, dançou, trocou de roupa, chamou fã no palco e deixou mais do que claro que ama seus fãs brasileiros.

Fica aqui o nosso MUITO OBRIGADO e congratulações à toda a equipe do Rock In Rio.
Nos vemos em 2017! \m/


Fotos: I Hate Flash | Vídeos: Multishow

João Batista
Dono, idealizador e fundador do labirinto. Genioso, carioca que não sabe sambar e amante da cultura pop desde 1991.
  • Derick Victorino

    O George não veio para o show. Ele mal faz os shows da turnê, prefere trabalhar só em estúdio.

  • Márcio Barthem

    Deixar o A-ha de fora, é uma tremenda brincadeira de mal gosto.