Resenha | "O Lar das Crianças Peculiares" • MAZE // MTV Brasil
FilmesPostsResenhas

Resenha | “O Lar das Crianças Peculiares”

Leonardo Drozino9186 views

Logo após a perturbadora morte de seu avô (Terence Stamp) com quem era muito próximo, o jovem Jake (interpretado por Asa Butterfield) parte com seu pai para o País de Gales no intuito de  atender o último pedido de seu avô: encontrar a Srta. Peregrine com a promessa de que ela lhe “contaria tudo”. Chegando lá, Jake se depara com uma mansão em ruínas destruída por um míssil durante a Segunda Guerra Mundial. Mas para a surpresa dele, as histórias fantásticas das crianças peculiares, com poderes especiais que ouvia enquanto crescia, na verdade se mostram ser reais.

Não existiam tantas expectativas em torno da estreia de “O Lar das Crianças Peculiares”, mesmo com a responsabilidade de sua adaptação para o cinema estar nas mãos do tão conhecido e apreciado diretor Tim Burton. O livro, escrito por Ransom Riggs, já é conhecido do público há uns pares de anos, mas mesmo assim é completamente compreensível sentar-se à frente da tela sem dar nada para o filme… E acabar se surpreendendo.

 A surpresa, no entanto, é relativa. Caso tenha lido o livro, o espectador pode se decepcionar, mas caso contrário poderá se encontrar intrigado pela trama incomum. Os efeitos visuais são absurdamente bons, fazendo com que a experiência de assistir ao filme em 3D seja completamente satisfatória. A história é interpretada visualmente com uma abordagem um tanto quanto diferente da do livro, tentando equilibrar o aspecto gótico da trama com uma atmosfera mais infantil e suave. Porém, essa tentativa não foi bem executada, e é impossível evitar a sensação de que algo está faltando na trama.

o-lar-das-criancas-peculiares-poster-mazeblog
Poster de “O Lar das Crianças Peculiares”. (2016)

O fluxo é bem acelerado, não tardando em ceder informações, mas pecando em não se aprofundar mais naquilo que propõe. Tudo estava ali, pronto para ser explorado, mas foi visto muito superficialmente. Há algumas modificações no enredo: ausência de personagens, presença de novos e adiantamento de informações presentes no livro seguinte, que infelizmente podem colidir e futuramente fazerem uma bagunça difícil de arrumar, caso exista planos para levar adiante a franquia para as telas.

Ao mesmo tempo em que a história de O Lar das Crianças Peculiares tem aquele diferencial e criatividade que surpreende, falta uma dose mais generosa de emoção e de drama. O produto que tentaram vender é diferente do original, mas não existiria nada de muito errado com isso se ao menos tivesse sido vendido direito. O filme não é infantil o suficiente para convencer as crianças, mas não é dramático e sombrio o necessário para agradar os fãs que viraram ferozmente as páginas do livro. A magia está ali, mas não impacta tanto quanto poderia.

Leonardo Drozino
Escritor, redator do MAZE e cupido nas horas vagas.