ESTREIA NETFLIX | "Roma" é a obra-prima de Alfonso Cuarón • MAZE // MTV Brasil
FilmesResenhas

ESTREIA NETFLIX | “Roma” é a obra-prima de Alfonso Cuarón

Luiz Henrique Oliveira1051 views

Roma” é o tipo de filme que deixa a gente sem palavras. Como definir uma obra-prima dessas? Ao assistir a esse longa, que chega pela Netflix no dia 14 de dezembro, muitos adjetivos surgem à mente. Entretanto, é difícil encontrar um que caiba exatamente naquilo que o filme realmente representa.

Alfonso Cuarón, diretor de longas como “Filhos da Esperança“, “Gravidade” e “Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban“, realiza aqui a sua obra mais profunda. Não há o que discutir: esta é sua obra-prima. Neste longa, ele faz um exame minucioso de como se dá a diferença entre classes sociais nos anos 70. Por consequência, essa analogia se aplica aos dias de hoje também. Em “Roma”, percebemos que pouca coisa mudou daqueles tempos para cá. Entretanto, este não é um filme amargo, pelo contrário. Ele é recheado de esperança.

Na história, conhecemos Cleo, uma empregada doméstica no México dos anos 70. Ela trabalha para uma família de classe média em um bairro suburbano, e todos na casa a tratam como se fosse da família. Entretanto, nunca a deixam esquecer, mesmo que de forma indireta, que ela está em uma situação inferior na sociedade. E, principalmente, em relação a eles. Quando Cleo engravida, passamos a acompanhar a sua situação, e como a sua mentalidade vai se transformando com o passar do tempo.

 

“Roma” é obra máxima de uma filmografia celebrada

Este é um resumo bem básico da trama, mas ela é muito mais extensa do que isso. Por trás de aparências, Cuarón quer dizer muito mais do que estamos vendo. Basta ficar atento para perceber as mensagens que “Roma” transmite. A temática é bem parecida com “Que Horas Ela Volta?“, grande sucesso aqui no Brasil. Porém, parece um upload dos temas mostrados pela personagem de Regina Casé naquele filme.

Cuarón, que além de dirigir, também escreveu, produziu, montou e fotografou o filme, chega aqui ao ponto máximo de sua técnica cinematográfica. O homem que conseguiu conceber “Gravidade” alcança o seu melhor em um longa quase biográfico. São reminiscências das memórias afetivas do autor, misturadas à sua compreensão da luta de classes. Fora que o filme é um poço de empatia. É impossível não se afeiçoar pela personagem principal, interpretada por Yalitza Aparicio com delicadeza.

Dessa forma, é fácil afirmar que “Roma” é uma obra de arte. Consequentemente, é o que tem mais chances na temporada de premiação 2018/2019. Sendo assim, já foi indicado a diversos prêmios – e outros estão por vir, merecidamente. Inegavelmente temos um filme para ficar na história. Certamente, um dos maiores dessa década.

Temos uma crítica sobre o filme em nosso canal parceiro, o Cinco Tons. Assista!

Luiz Henrique Oliveira
Nasceu no interior de São Paulo em 1986 e escreve sobre cinema em blogs desde 2004. Curte drama, comédia e ficção científica, mas ama mesmo O Poderoso Chefão. Tem interesse no mundo geek, em música brasileira e pode ser facilmente confundido com o Chico Bento pelas ruas da capital paulista.