Retrospectiva: As 20 melhores séries de 2015 • MAZE // MTV Brasil
ListasPostsSéries e TV

Retrospectiva: As 20 melhores séries de 2015

João Batista2688 views

E a nossa retrospectiva continua. Depois de falarmos sobre os singles que mais bombaram em nossas playlists nos últimos meses, chegou a vez de comentarmos sobre as séries de 2015 que mais mereceram o nosso amor – mesmo esse assunto não ter sido tão abordado por aqui ultimamente. Produções nacionais, originais do Netflix, guilty pleasures e também aquelas veteranas que não deixarão de ser nossas faves tão cedo… Teve de tudo! Vamos lá?

 

felizes-para-sempre-maze-blog20. Felizes Para Sempre?

Intrigas, jogos familiares, investigações e afins. Nada fora do comum para uma novela das nove ou algum filme nível Tela Quente, mas quando tudo isso é retratado com um roteiro bem escrito e uma produção sofisticada, como aconteceu com Felizes Para Sempre?, as coisas mudam (e muito). Com ares misteriosos e um requinte que a tevê nacional viu pouquíssimas vezes, a minissérie da Rede Globo foi, sem dúvidas, uma das melhores séries de 2015 e causou muito rebuliço na internet, tanto por sua incrível história, quanto por outros motivos. Entre eles um elenco competente, e, claro, Paolla Oliveira, que mostrou, além do seu bumbum, o porquê de ser uma das mais competentes atrizes da dramaturgia nacional.

bates-motel-maze-blog19. Bates Motel (3ª temporada)

Parece meio difícil de acreditar, mas o ritmo nada apressado de Bates Motel ainda consegue segurar olhares curiosos. Cada vez mais próximo de seu clímax, já deu pra se dar conta de que a trama protagonizada por Freddie Highmore e Vera Farmiga não tem como foco principal uma violência gráfica e intensa, o que dá espaço para que toda carga psicológica da trama nos deixe sedentos pela conclusão da história.

how-to-get-away-with-murder-maze-blog18. How to Get Away With Murder (2ª temporada)

Viola Davis está cada dia mais poderosa. Depois de conquistar a todos com a estreia de HTGAWM no ano passado, ela permitiu-se novamente a receber o Midas touch de Shonda Rhimes e voltou ainda mais fria e determinada nessa segunda temporada. Com novos casos e os personagens secundários ganhando cada vez mais destaque, essa temporada conseguiu, em sua maioria, manter a temperatura lá em cima e deixar todo mundo grudado na frente da tela.

the-affair-maze-blog17. The Affair (2ª temporada)

Vencedora do Globo de Ouro por sua primeira temporada, The Affair voltou com o mesmo nível de qualidade e novos dramas, dessa vez mostrando os acontecimentos da primeira temporada sob novas perspectivas. E é essa dualidade na série e a reviravolta na narrativa e no ponto de vista que a fizeram, mais uma vez, uma das melhores produções do ano e concorrente mais uma vez a uma estatueta no Globo de Ouro.

the-walking-dead-maze-blog16. The Walking Dead (6ª temporada)

Entra ano, sai ano e os zumbis não saem de moda: The Walking Dead continua fazendo um enorme sucesso, e essa é a maior prova. Já em sua sexta temporada, a busca de Rick Grimes pela sua sobrevivência juntamente com outros poucos que restaram do apocalipse zumbi tem um grande apelo com o público e sua realização ainda está impecável. E ainda há muito para se contar…

game-of-thrones-maze-blog15. Game Of Thrones (5ª temporada)

Esse ano foi cheio de emoções em Game of Thones. Principalmente por causa de um cara chamado Jon Snow… E é por isso que ela mereceu estar em nossa lista, pois apesar de já estar em sua quinta temporada o seriado não perdeu a sua novidade, as cenas impactantes ainda estão lá para fazer os espectadores sentirem todo o drama da história baseada nos livros do George R. R. Martin.

amorteamo-maze-blog14. Amorteamo

Teve outro produto de origem nacional que não passou despercebido. Além de Felizes Para Sempre?, a Rede Globo também produziu neste ano a instigante Amorteamo. Saindo um pouco da caixinha pelo ponto de vista estético e inspirada no visual dos filmes de Tim Burton, a série de apenas cinco capítulos trouxe à tona a cultura mística de Recife – cidade que tem fama de ser assombrada e não é de hoje. Mesmo rendendo um roteiro não muito inovador, a produção merece destaque pela sua boa intenção pelo seu conceito muito bem desenvolvido.

homeland-maze-blog13. Homeland (5ª temporada)

Há tempos que muitos ainda duvidam da qualidade de Homeland, que anos atrás abocanhava logo com suas primeiras temporadas os principais prêmios televisivos em todo o mundo, incluindo o Emmy de Melhor Série Dramática. Em sua quinta temporada, a produção do Showtime americano veio totalmente diferente, mostrando o cotidiano de Carrie afastada de seu antigo cargo na CIA e em novos territórios, especificamente na controladora Alemanha. Mas o fato de que Carrie não é mais uma agente da segurança americana não significa que esta tenha se desvinculado da moça: ainda há muito sangue, bombas e segredos a serem desvendados pela loira que, mais uma vez estrelada de forma brilhante por Claire Danes, é exército de uma mulher só.

salem-maze-blog12. Salem (2ª temporada)

Quando surgiu no começo de 2014, a WGN America se viu num timing perfeito para divulgar seu novo projeto. Os até então recém órfãos de American Horror Story: Coven e ansiosos por Penny Dreadful eram o público alvo perfeito, somado a toda gama de espectadores de séries que estavam sedentos por uma boa série de terror. Salem foi lançada, dividiu opiniões e deixou os fãs receosos até que a segunda temporada fosse confirmada – e acabou sendo mesmo. Ainda mais sombria, sangrenta e com seu roteiro se desenvolvendo no ritmo certo. Muito que bem!

penny-dreadful-maze-blog11. Penny Dreadful (2ª temporada)

Sombria e única, Penny Dreadful voltou em 2015 com uma temporada um pouco mais longa que a primeira e elevando a excentricidade da série a novos patamares, com direito a muitas bonecas de vodu, mortes, sangue e bruxaria. Eva Green brilha linda e absoluta como sucessora natural do mundo das trevas e trava batalhas intensas com os monstros que a cercam –esteja estes dentro ou fora de sua cabeça – e, aliada de seus escudeiros, faz dessa série um mosaico de diversos personagens clássicos do terror inglês que assombram nossas mentes e ainda fazem parte da nossa cultura graças a produções impecáveis como Penny Dreadful.

the-americans-maze-blog10. The Americans (3ª temporada)

Com a estreia de sua terceira temporada no início deste ano, The Americans figurou logo de cara entre as séries mais bem elogiadas de 2015/16, obviamente pela maestria e peculiaridade em mostrar um casal de espiões soviéticos vivendo sua vida como um casal americano comum. Numa série de reviravoltas e conflitos, tanto dentro do relacionamento de Elizabeth e Philip quanto no papel de ambos como agentes secretos, a série explorou novos rumos, teve uma série de revelações e nos deixou sem fôlego do começo ao fim da temporada.

demolidor-maze-blog9. Demolidor

Uma das maiores surpresas do ano foi em Demolidor, o que mostra a força da Marvel também em outros campos fora do seu universo cinematográfico. A parceria com a Netflix rendeu uma das mais elogiadas produções do ano, com direção de arte, figurinos e atuações impecáveis, principalmente do protagonista Charlie Cox.

scream-queens-maze-blog8. Scream Queens

Famigerada, assim como todas as recentes produções de Ryan Murphy, Scream Queens teve um marketing absurdo esse ano por conta de vários aspectos: o elenco que grandes fandoms, as inúmeras referências e o toque de humor negro foram apenas alguns dos motivos pelo qual a série teve o seu destaque em 2015. Totalmente feita para não ser levada a sério, ela já teve sua segunda temporada confirmada e promete levar os gritos e risadas para um acampamento de verão no ano que vem.

narcos-maze-blog7. Narcos

Pouco a pouco, a América Latina é lembrada e vista com novos olhos por todo mundo, seja pelas tensões que andam acontecendo por aqui ou pelas produções de altíssima qualidade que andamos exportando. Produção do Netflix, Narcos retrata a série do magnata e traficante colombiano Pablo Escobar, o homem que transformou a cocaína em uma das drogas mais difundidas no mundo no último século. Em meio a muitos tiros, rios de dinheiro, sexo e, claro, drogas, a construção do império de Escobar e sua ascensão como um dos homens mais famosos do nosso continente foi retratada, ainda que de forma um pouco distorcida, nessa série genial que traz o mítico e talentosíssimo Wagner Moura no papel do colombiano. A qualidade é tanta que a série e Moura foram lembrados pelo Globo de Ouro e concorrem, respectivamente, aos prêmios de melhor série dramática e melhor ator. Ou seja: você precisa assisti-la.

orange-is-the-new-black-maze-blog6. Orange Is The New Black (3ª temporada)

A aguardada terceira temporada de Orange Is The New Black chegou um pouco mais cedo para os fãs. Nesse novo ano de Pipper, Alex e suas companheiras de cela, o tema principal foi a maternidade. O ritmo da série foi um pouco menos eufórico que na temporada anterior, porém ofereceu um olhar muito mais denso no interior das mentes e corações das prisioneiras, além de flashbacks capazes de fazer qualquer um chorar. O que esperar da quarta temporada? Com certeza muito drama.

house-of-cards-maze-blog5. House of Cards (3ª temporada)

No ano em que a vida imitou a arte e Eduardo Cunha tentou ser Frank Underwood, House of Cards chegou com sangue nos olhos e poder jorrando das mãos do seu personagem principal em sua terceira temporada. Os esquemas políticos, as falcatruas e os jogos que Francis e sua trupe fizeram ao longo das duas primeiras temporadas colocaram o cara na presidência e agora, como o homem mais importante do mundo, seu objetivo é único: continuar no poder. Com o auxílio de seus companheiros, o cara precisou se dedicar a sua carreira, mas enfrentou uma porrada de perrengues e, no fim de tudo, precisa enfrentar o maior de todos: sua esposa, a maravilhosa Clare Underwood. Em meio ao jogo sujo da política, problemas matrimoniais e a forma única de ter sua história contada, House of Cards continua firme e forte como um dos melhores seriados em exibição.

orphan-black-maze-blog4. Orphan Black (3ª temporada)

Tatiana Maslany poderia ser um motivo forte o suficiente para fazer de Orphan Black um marco na história da televisão, mas não contente em colocar uma única atriz para interpretar dezenas de personagens (entre elas uma dona de casa, uma ucraniana e até um homem), o time de produtores e criadores do programa um roteiro arrebatador, com direito a personagem politicamente correta traficando drogas, sequestros, mortes e fugas de bases militares. Alex, Sarah, Helena e Cosima unem forças, brigam, sofrem, lutam umas pelas outras, agora não só com o objetivo de sobreviver e proteger seus familiares, mas também se protegerem. Afinal de contas, são todas seestras. E você tem obrigação de vê-las, para tornar-se um(a) também. Vrá!

sense8-maze-blog3. Sense8

Angel (Daryl Hannah) está agonizando sob o terror de um homem de olhos gentis, conhecido como Sussurro (Terrence Mann) que tenta capturá-la. Mas para se proteger, ela se mata, mas não antes de “dar a luz” a outros oito novos indivíduos iguais a ela. E assim, eles se tornam conectados de um jeito que não seria possível com nenhuma tecnologia. Eles podem conversar uns com os outros, ver através de seus olhos, acessar as suas habilidades, sentir as suas emoções. O mais interessante nisso tudo, é que são pessoas de personalidades muito diferentes e de variados locais do mundo. A princípio, Sense8 lida principalmente com conflitos individuais. Sexualidade, identidade de gênero, opressão social, violência e medos.  Mas no final das contas, tudo isso acaba se resumindo na compreensão da essência do ser humano.

american-horror-story-hotel-maze-blog2. American Horror Story: Hotel

Apesar de ainda não ter chegado em sua conclusão, já temos o suficiente para dizer que American Horror Story está retomando sua boa e antiga forma. Depois da duvidosa Coven e de uma desfocada Freak Show que tinha mais drama do que outra coisa, Ryan Murphy se deu conta de que thriller psicológico é o fator chave da obra. Isso sem contar no marketing bem sucedido em torno de Lady Gaga que, junto com Denis O’Hare e Evan Peters, entregou alguns dos personagens mais bem recebidos de toda a história da franquia.

jessica-jones-maze-blog1. Jessica Jones

Se Demolidor chamou atenção, Jessica Jones conseguiu chamar em dobro. Chegou quietinha, como quem não tem nenhuma pretensão, mas conquistou público e crítica imediatamente e provando que o ano foi mesmo da conscientização e de empoderamento das mulheres: Krysten Ritter parece ter sido feita para o papel. E como vilão ninguém menos que David Tennant, roubando a cena cada vez que aparece. Com um elenco afinado e uma história cheia de reviravoltas, foi impossível errar, e por isso Jessica Jones está em primeiro lugar na nossa lista.

João Batista
Dono, idealizador e fundador do labirinto. Genioso, carioca que não sabe sambar e amante da cultura pop desde 1991.