Retrospectiva: Os 30 melhores clipes de 2015 • MAZE // MTV Brasil
ListasMúsicaPosts

Retrospectiva: Os 30 melhores clipes de 2015

João Batista1919 views

Já foram os singles e já foram também as séries. Dessa vez, chegou a hora de contarmos pra vocês quais foram os 30 clipes de 2015 que mais se destacaram segundo a opinião dos membros do blog! E dessa vez, ainda iremos trazer algo a mais: em parceria com nosso amigo Roberto Júnior, do Qual a Grande Ideia?, teremos um pequeno vídeo especial com uma compilação de todas as escolhas dessa categoria. Espero que gostem e que não fiquem aborrecidos caso o seu artista favorito não esteja nessa lista, afinal foi bem difícil escolher apenas 30 num ano que teve tanto clipe legal. Enfim… Leiam e compartilhem a opinião de vocês!

 

troye-sivan-wild-maze-blog30. Troye Sivan – Wild

Primeira parte do curta Blue Neighbourhood (mesmo nome do seu disco de estreia), “Wild” mostra o relacionamento de dois meninos que, desde pequenos, compartilham um vínculo afetivo bastante intenso. Com uma fotografia belíssima e um roteiro que (infelizmente) condiz com muitas realidades, a produção não poderia ficar de fora da nossa lista.

tove-lo-talking-body-maze-blog29. Tove Lo – Talking Body

Tove Lo não deixou de trabalhar em 2015. Relançou o ótimo Queen Of The Clouds e, pra nenhum fã reclamar, ainda lançou mais três clipes: “Talking Body”, “Timebomb” e “Moments”. Das três produções citadas, a primeira foi uma obra digna de destaque: inspirada no filme Dogville, o vídeo para “Talking Body” mostra a sueca em momentos de encontros e desencontros com seu garoto-problema com direito à um final um tanto que inesperado. De quebra, o vídeo ainda deu uma ajuda da boa para consagrar o single como mais um hit da rainha das nuvens.

taylor-swift-bad-blood-maze-blog28. Taylor Swift – Bad Blood

2015 foi o ano de muita gente na música pop, principalmente de Taylor Swift. Para o clipe de “Bad Blood”, quarto single de seu aclamado e bem sucedido 1989, a ex-cantora country escolheu do Video Music Awards desse ano para ser o local onde a produção iria estrear. Desde o anúncio, o buzz foi imenso por conta das inúmeras participações confirmadas que incluia Selena Gomez, Gigi Hadid, Hayley Williams até o rapper Kendrick Lamar. O resultado disso tudo foi um obra grandiosa de Joseph Khan que, suspeitas de indiretas à parte, ficou muito bem agradável aos olhos.

run-the-jewels-close-your-eyes-maze-blog27. Run The Jewels – Close Your Eyes

Certamente um dos vídeos mais provocantes e ousados lançados esse ano. “Close Your Eyes” retrata um conflito entre um policial branco e um rapaz negro de forma intensa e extremamente violenta. Mas ao contrário do que essa narrativa sugere, o desenrolar do vídeo passa longe de estereótipos infelizes, deixando espaço para apenas a lição de que esse cenário atual da sociedade precisa urgentemente mudar.

mike-posner-be-as-you-are-maze-blog26. Mike Posner – Be As You Are

Outro exemplo de clipe com mensagem social, “Be As You Are” mostra o subestimado Mike Posner num nível de sua videografia que jamais poderíamos imaginar que ele poderia alcançar. Filmado numa praia, o vídeo mostra Mike e pessoas anônimas segurando placas com pré-julgamentos relacionados ao seu estilo de vida/aparência. Levando em conta que é um vídeo com temática de auto-aceitação, a ideia principal não é lá muito original, entretanto o desenrolar do vídeo é lindo, e a música também não fica pra trás.

selena-gomez-same-old-love-maze-blog25. Selena Gomez – Same Old Love

Quem diria que o single do Revival mais meia-boca lançado até agora renderia o melhor videoclipe da era? Nele, Selena passeia de carro pelas ruas da cidade e observa pessoas demonstrando amor e afeto uma pelas outras  em suas mais diversas formas, tanto entre amigos, familiares e casais de diversas orientações sexuais.

carly-rae-jepsen-your-type-maze-blog24. Carly Rae Jepsen – Your Type

Sem dúvidas de que Carly Rae Jepsen deu para nós um dos melhores álbuns pop do ano. Além disso, o E•MO•TION também contou com clipes bastante satisfatórios – incluindo “Your Type”, terceiro single do disco. Dirigido por Gia Copolla, a canadense dá vida à uma releitura nada convencional do conto Cinderella em meio à muitas cores, visual oitentista e uma fotografia linda.

years-and-years-king-maze-blog23. Years & Years – King

A dança conteporânea continuou em alta esse ano, e foi esse o fator que Olly Alexander explorou para o videoclipe de “King”, single do Years & Years que faz parte do ótimo disco Communion. No vídeo, Olly e os outros integrantes são possuídos por dançarinos performáticos fazendo alusão ao tema central da música, que fala sobre um relacionamento conturbado e controlador. E sim, foi Ryan Heffington que coreografou isso tudo aí.

marilyn-manson-Mephistopheles-of-Los-Angeles-maze-blog22. Marilyn Manson – Mephistopheles of Los Angeles

Um dos maiores pilares do rock mundial, Marilyn Manson retornou neste ano com um disco bastante elogiado pelo seu público, que inclui “Cupid Carries a Gun” (tema da abertura da série Salem) e que rendeu até agora dois videoclipes bizarros, pra variar. Um deles é o mais recente, “Mephistopheles of Los Angeles”, obra dirigida por Francesco Carrozzini (ex da Lana Del Rey que também colaborou no álbum audiovisual de Beyoncé) que traz Manson como um líder religioso batizando mulheres seminuas.

macklemore-downtown-maze-blog21. Macklemore & Ryan Lewis – Downtown

Após um pequeno afastamento dos holofotes para se dedicar à sua família, o rapper Macklemore voltou em seu projeto conjunto com Ryan Lewis de forma grandiosa. Apesar de nada relacionado ao sucessor de The Heist ter sido divulgado ainda, “Downtown” foi uma ótima forma para avisar ao haters que ele está de volta. Aliás, foi graças a essa música que pudemos conhecer o irreverente Eric Nally.

the-weeknd-cant-feel-my-face-maze-blog20. The Weeknd – Can’t Feel My Face

Um dos maiores hits do ano também rendeu um dos melhores clipes também. O canadense The Weeknd, mesmo com outros discos já no currículo, ganhou notoriedade pop com o single “Can’t Feel My Face” do álbum Beauty Behind the Madness. Como o cara não gosta de decepcionar quando o assunto é videoclipe, fez questão de chamar Grant Singer (“You’re Not the One” e “Night Time My Time”, da Sky Ferreira) para dirigir a produção, que mostra Abel numa boate numa apresentação que é puro fogo… literalmente!

hurts-lights-maze-blog19. Hurts – Lights

Assinado por Dawn Shadforth – primeiro trabalho com a dupla desde o vídeo de “Wonderful Life” – o vídeo destacada um lado dançarino de Theo Hutchcraft que não estamos acostumados a ver. Junto de sua companheira, os dois protagonizam no vídeo de 7 minutos uma aventura noturna cheia de surpresas com direito à uma coreografia e jogos de luz incríveis. E quem diria que Theo se sairia tão bem, hein?

maroon-5-sugar-maze-blog18. Maroon 5 – Sugar

No clipe, Adam Levine e sua trupe (agora um sexteto) saem andando por Los Angeles e aparecem de supetão em vários casamentos, surpreendendo os noivos e os convidados ao cantarem a faixa como um “presente surpresa” para os recém-casados. O resultado é esse vídeo divertido e animado que foi um hit em 2015.

kendrick-lamar-king-kunta-maze-blog17. Kendrick Lamar – King Kunta

Diretamente de Compton, um dos berços estadunidenses do rap, Kendrick Lamar gravou um clipe incrível e super animado para o igualmente louvável single “King Kunta”, do disco To Pimp a Butterfly. Com uma abordagem bastante pessoal e animada, o rapper chamou seus amigos de longa data para protagonizar o vídeo e fez um tour pelos seus points favoritos de seu bairro de origem, mostrando que a cultura negra segue firme, forte e com um cenário nada depreciativo se comparado ao que estamos acostumados a ver pela mídia.

halsey-new-americana-maze-blog16. Halsey – New Americana

“New Americana” não é o único vídeo da curta carreira de Halsey, mas é certamente um dos melhores que ela já fez em tão pouco tempo de estrelato. Sempre muito engajada, a moça de cabelos coloridos e dona do álbum Badlands expressou com um quê distópico a opressão de minorias na sociedade. Pelo visto, 2015 foi um ano bem político na música pop, não é mesmo?

Jack-Ü-&-Justin-Bieber---Where-R-Ü-Now-MAZE-BLOG15. Jack Ü & Justin Bieber – Where R Ü Now

Esse single ame-ou-odeie continua sendo um dos guilty pleasures de muita gente. Por outro lado, o vídeo de “Where Are Ü Now?” é um banho de projeções artísticas e um deleite para quem gosta de clipes nesse estilo. Enquanto Bieber canta os versos do hit criado por Diplo e Skrillex, ele interage com os elementos virtuais, chegando até a se fundir com alguns deles.

Brandon-Flowers---Can't-Deny-My-Love-MAZE-BLOG14. Brandon Flowers – Can’t Deny My Love

O frontman do The Killers levou a gente lá pro século 19 para embarcarmos numa aventura cheia de mistério e coisas sinistras. O vídeo conta com participação de Evan Rachel Wood, que interpreta a esposa de Brandon, e também de Richard Buttler como membro de uma seita sinistra. O roteiro é apenas um dos pontos positivos, até porque não podemos deixar de mencionar a ambientação linda da época.

adele-hello-maze-blog13. Adele – Hello

Mostrando-se agora como uma mulher mais madura e desapegada de quem a fez sofrer lá no 21, Adele mostra no clipe de “Hello” que é alguém pronta para superar, seguir adiante de tudo que estava contribuindo para o seu sofrimento. Mas é claro que mesmo com esse intuito de “bola pra frente”, ainda assim estamos falando de Adele, ou seja: todo mundo se jogando na bad para sair da bad!

david-bowie-blackstar-maze-blog12. David Bowie – Blackstar

Depois de lançar The Next Day de surpresa há quase dois anos, o lendário David Bowie apresenta seu mais novo trabalho, Blackstar, que será lançado nos primeiros dias de janeiro. E para promover o álbum, o cantor inglês produziu um clipe para a faixa-título: com dez minutos de duração, a produção é um misto de terror psicológico com imagens assustadoras, seguindo bem o estilo da música, uma espécie de eletrônico com influência de música gótica e européia. Com “Blackstar”, Bowie promete mais uma fase em sua carreira, entrando de cabeça na música experimental, e o clipe segue essa linha, sendo um dos mais bem produzidos de sua vasta carreira.

of-monsters-and-men-empire-maze-blog11. Of Monsters and Men – Empire

Os islandeses arrasam quando o assunto é clipe, todo mundo que os acompanha já sabe. Sempre recheados com referências surreais e abstratas, seus vídeos chamam atenção pelo forte apelo visual de muito bom gosto. Porém, para clipe de “Empire”, Nanna, Ragnar e cia. resolveram mudar um pouco esse padrão e entregar uma obra mais próxima da realidade, porém com o mesmo bom gosto. Protagonizado pelas modelos suecas Erika Linder e Ingmari Lamy, o vídeo traz uma história interessante de amor inspirada em Ensina-me a Viver, romance da década de 70.

grimes-flesh-without-blood-maze-blog10. Grimes – Flesh Without Blood/Life in the Vivid Dream

Claire Boucher, aka Grimes, não gosta de ser muito convencional quando o assunto é videoclipe. Para o primeiro passo na divulgação do seu quarto álbum, Art Angels, isso não foi diferente: “Flesh Without Blood” foi a faixa escolhida para iniciar os trabalhos e ganhou um clipe cheio de bizarrices e referências ao nome do disco, e de quebra a produção ainda veio com um “segundo ato” ao som do interlúdio “Life in the Vivid Dream”. Apesar de estar cada dia mais perto do mainstream, ver Grimes ser Grimes depois de tanto tempo longe desperta uma pontinha de nostalgia que a faz merecedora de estar em nossa lista.

anitta-bang-maze-blog9. Anitta – Bang

Não teve jeito: em 2015 Anitta roubou a cena aqui no Brasil e muita gente teve que engolir. Depois de declarações e posturas infelizes perante a mídia (o desconfortável debate feminista no Altas Horas, por exemplo), a garota deu uma mini-sumida pra focar em seu novo disco, Bang, que foi anunciado “de surpresa” pouco tempo depois da inédita “Deixa Ele Sofrer” ter viralizado Brasil afora. Mas o que realmente calou a boca de todos foi o videoclipe da faixa-título, com direção artística de ninguém menos que Giovanni Bianco. O resultado foi uma prova de que artista brasileiro pode, sim, ser um artista pop bem produzido. Basta sair da caixinha.

stromae-carmen-maze-blog8. Stromae – Carmen

Apesar da canção ter sido lançada em 2013, só esse ano o belga Stromae lançou um clipe para “Carmen”. O vídeo da canção, uma animação feita por Sylvain Chomet, é uma crítica social aterrorizante de como a sociedade atual se tornou viciada e completamente alienada e escravas das redes sociais.

fka-twigs-m3ll155x-maze-blog7. FKA twigs – M3LL155X

Destaque em praticamente todas as nossas listas do ano passado, FKA twigs não deixou os fãs com os ouvidos (e olhos) abanando após encerrar as atividades do seu disco de estreia, o ótimo LP1. Tahliah Barnett fez questão de lançar, do nada, um EP acompanhado de um curta-metragem com todas as faixas que retrata, segundo a própria, “o processo de se sentir grávida de dor, parindo criatividade e liberação”.

bjork-stonemilker-maze-blog6. Bjork – Stonemilker

Filmado em 360º e exibido em uma plataforma de realidade virtual no MoMA (Museu de Arte Moderna, em NY), o clipe mostra a cantora interpretando a canção em meio a rochedos. Porém, a tecnologia utilizada faz com que seja possível que o telespectador sinta-se como se estivesse filmando a artista, conforme tecla ou move a tela de seu dispositivo.

drake-hotline-bling-maze-blog5. Drake – Hotline Bling

Dirigido por Director X (Little Mix, Iggy Azalea, etc), o clipe é mais um da categoria menos-é-mais. Num cenário minimalista e turbinado de cores, Drake se empolga tanto que chega até a arriscar – com êxito – alguns passinhos de dança. Isso sem contar na viralização absurda que o vídeo teve por conta deles.

madonna-ghosttown-maze-blog4. Madonna – Ghosttown

O vídeo, dirigido por Jonas Akerlund (responsável pelo premiado vídeo de “Ray of Light“) que é uma representação visual impecável da letra da canção apocalíptica, vemos a Rainha do Pop em um mundo destruído em chamas após guerras nucleares, contracenando com o ator Terrence Howard, conhecido por sua participação na série “Empire”. Em termos de produção e direção, é inegável que esse seja o melhor clipe da carreira de Madge em anos.

mia-borders-maze-blog3. M.I.A. – Borders

Em termos de timing, M.I.A. não poderia ter escolhido uma temática melhor para o seu novo single/clipe. “Borders”, que estará em seu aguardado próximo disco de inéditas, ganhou uma produção de nível alarmante onde vemos a artista entoando sobre a situação crítica de imigrantes refugiados ao redor do mundo. Destaque para a impactante imagem dos corpos formando a palavra LIFE nas grades.

florence-and-the-machine-what-kind-of-man-maze-blog2. Florence + the Machine – What Kind Of Man

Assim como a música em si, o clipe “What Kind Of Man” é uma explosão de sentimentos. E mais uma vez pudemos conferir Ryan Heffington em ação colocando Florence Welch e vários homens para dançar e imprimir a vibe caótica que a canção traz consigo. Depois de se envolver com temas místicos e surreais, encontrar a banda britânica numa forma mais “humana” e orgânica é algo para se apreciar.

rihanna-bitch-better-have-my-money-maze-blog1. Rihanna – Bitch Better Have My Money

Não é novidade pra ninguém que Riri quebrou sua tradição de lançar cd todo ano, e desde então a internet não tem estado sossegada à espera de ANTI. Para o sucessor de Unapologetic, ela lançou de forma bem arrastada os singles “FourFiveSeconds”, “American Oxygen” e “Bitch Better Have My Money”. Das três, a última foi a que realmente “pegou” no gosto da galera, e não demorou muito (mentira, demorou sim) para que o vídeo da canção fosse liberado. Mas até isso acontecer, ela prometeu conteúdo explícito com nudez, violência, drogas e linguagem obcena – nenhuma expectativa grande para quem já tinha “Pour It Up”, “S&M” e performances ao vivo bem ousadas no currículo. Mas não é que ela conseguiu entregar o mais controverso vídeo de toda sua carreira? Com uma produção cinematográfica grandiosa e um plot twist bem inesperado, Riri fez a espera valer a pena e mostrou que é melhor pensar duas vezes antes de pedir uma graninha emprestada.


Agradecimentos: Roberto Júnior | Qual a Grande Ideia?

João Batista
Dono, idealizador e fundador do labirinto. Genioso, carioca que não sabe sambar e amante da cultura pop desde 1991.