Retrospectiva: Os 30 melhores singles de 2015 • MAZE // MTV Brasil
ListasMúsicaPosts

Retrospectiva: Os 30 melhores singles de 2015

João Batista1666 views

2015 foi um ano bastante rico para a música. Em meio à muitos vazamentos, polêmicas e produções de gosto duvidoso, teve material de sobra para que pudéssemos escolhermos os nossos singles de 2015 favoritos. Seja para dançar, chorar ou até mesmo refletir sobre os mais diversos temas, 2015 foi bem massa. Eis as 30 escolhas musicais mais marcantes do ano – segundo a opinião emo&gótica da equipe do blog!

30. Mumford and Sons – Believe

Um dos grandes nomes da próxima edição do Lollapalooza Brasil, a banda abandonou os banjos e se entregou de vez nas guitarras e baixos em seu quarto álbum, Wilder Mind (leia nossa resenha aqui). “Believe”, primeiro single do disco é uma canção quase inteira acapela, até que atinge seu auge no final em uma explosão de riffs.

29. Ciara – Paint it, Black

Quem iria imaginar que um cover dos Rolling Stones na voz da Ciara (!!) fosse dar tão certo?

28. Melanie Martinez – Pity Party

Lançada como primeiro single do álbum de estreia da artista, Cry Baby, “Pity Party” contém samples do clássico “It’s My Party” de Lesley Gore, lançada em 1963. Na canção, Melanie lamenta o fato de ninguém ter comparecido à sua festa de aniversário.

27. Hurts – Rolling Stone

Servindo como single promocional para o terceiro álbum da dupla britânica Hurts, Surrender. Cantada em uma espécie de narrativa contando a vida de uma mulher forte e rebelde, por cima de batidas de synthpop, cordas e coral, é uma das canções mais interessantes da lista e talvez um dos melhores singles pop lançados em 2015.

26. Tove Lo – Moments

Lançada como terceiro single do álbum de estreia da sueca, Queen of the Clouds, a canção é mais um dos momentos sinceros e impactantes da artista, que podem valer para qualquer um: “Eu posso ficar um pouco bêbada, fazer coisas erradas, mas nos dias bons sou linda pra caralho“. É, Tove. Nós entendemos você.

25. Little Boots – No Pressure

Nesse ano, Little Boots caiu no batente literalmente para a promoção de seu novo álbum, Working Girl (leia nossa resenha). Uma das melhores doses, “No Pressure”, é uma ótima produção trabalhada no deep house que serve como um ótimo incentivo para curtir o disco do início ao fim.

24. Muse – Dead Inside

“Dead Inside”, o primeiro single de DRONES da banda britânica Muse é o começo de uma narrativa onde o protagonista de encontra “morto por dentro”. Apesar de seu significado sombrio, a canção é um pop quase grudento.

23. Hilary Duff – Sparks

O ano de 2015 não foi dos mais felizes para a carreira musical de Hilary Duff e para as divulgações do álbum Breathe In, Breathe Out. Mas no fim das contas, rendeu a ótima e viciante “Sparks”.

22. Escort – Animal Nature

Uma ode a clássica música disco, “Animal Nature” faixa título e primeiro single do segundo álbum da desconhecida banda, passou despercebida em 2015, mas bem que poderia se tornar um hino das pistas de dança devido a sua incrível atmosfera que remete a látex, pole dance e neon.

21. Karol Conká – Tombei

Produzida por Tropkillaz e investindo no estilo original de twerk, a rapper Karol Conka simplesmente arrasou nas pistas de dança do Brasil com o memorável hit “Tombei”.

20. Justin Bieber – Sorry

Quem diria, hein? Jus10 pode continuar não sendo um role model para seus fãs, mas ele acertou em cheio com as músicas do álbum Purpose. Com o toque de Skrillex (mas sem parecer um canteiro de construção civil), o canadense apostou em cheio na música eletrônica e entregou um hit pronto e eficiente.

19. Brandon Flowers – Lonely Town

Lançada como terceiro single do álbum The Desired Effect, a cheia de efeitos e completamente viciante “Lonely Town” não poderia deixar de marcar presença na lista.

18. Carly Rae Jepsen – I Really Like You

Entre os mais marcantes singles de 2015 não poderia deixar de faltar “I Really Like You”, música que trouxe Carly Rae Jepsen de volta aos holofotes da indústria musical após ser conhecida como a garota de “Call Me Maybe”. Assim como todas as as faixas do álbum E•MO•TION, o single chegou com várias boas intenções – incluindo remover o rótulo de one hit wonder  da conterrânea de Bieber.

17. Sia – Alive

Composta por Sia em parceria com Adele, “Alive” originalmente faria parte do mais recente disco da britânica, mas foi cortada de última hora – o que talvez tenha sido uma ótima ideia. Os vocais da australiana são completamente devastadores e dramáticos, e anunciam que coisa boa está por vir no álbum This Is Acting.

16. Adele – Hello

Olá. Sou eu. Depois de todos esses anos, nós poderíamos nos encontrar?“. Sem dúvida. Estávamos com saudades. Adele voltou nos 45 do segundo tempo e ainda assim marcou um golaço de bicicleta com o genial single “Hello”.

15. Troye Sivan – Wild

O electropop do novato Troye Sivan parece ter vindo para ficar por um bom tempo. Lidando com as dores da dificuldade de viver um amor proibido, a canção serve como faixa título do segundo EP do cantor.

14. Macklemore & Ryan Lewis – Downtown

A dupla que botou todo mundo pra dançar em 2012-2013 com o disco The Heist voltou com esse single maravilhoso que bebe da mesma fonte de “Thirft Shop”, mas com uma estrutura bem mais intensa e contiagiante que a do smash hit de anos atrás.

13. MIA – Borders

A canção pode a não vir se tornar um hit como “Paper Planes”, mas a vibe indiana de sua produção e o refrão farão com que a música grude e não saia de sua cabeça.

12. Janelle Monáe – Yoga

Para promover o EP colaborativo de sua gravadora, a Wondaland Records, Janelle Monáe deixou seu característico estilo andrógino de lado e apostou na sensualidade e em seu protegido Jidenna para fazer de “Yoga” um single daqueles. E ela conseguiu!

11. Lana Del Rey – Terrence Loves You

Embora o álbum Honeymoon esteja cheio de composições previsíveis e pouco criativas por parte de Lana Del Rey, o single promocional “Terrence Loves You” se destaca por ser uma bela canção de jazz.

10. Demi Lovato – Cool For the Summer

Confident pode não ter ficado da maneira que muitos esperavam. Mas que Demi acertou em lançar a incrível “Cool for the Summer” como carro-chefe, acertou.

9. Duffy – Whole Lot Of Love

De forma bem modesta, Duffy renasceu das cinzas e apresentou esse ano música nova. Para o filme Legend, a dona dos ótimos discos Rockferry e Endlessly deu voz a “Whole Lot Of Love” e nos deixou ainda mais sedentos pelo seu retorno definitivo à música.

8. Major Lazer – Lean On

Não há dúvidas sobre o sucesso estrondoso que “Lean On” fez e vem fazendo no Brasil e no mundo. E por mais que toda essa fissura pela canção provavelmente esteja quase beirando o nível “Titanium”/”Get Lucky”/”Happy” nas rádios, baladas e playlists, ainda é difícil de ficar parado quando o som de Diplo e cia. começa a tocar.

7. Foxes – Body Talk

Enquanto o All I Need não sai, nós ficamos por aqui ouvindo as ótimas músicas já lançadas – entre elas, as contagiante e oitentista “Body Talk”.

6. Rihanna – Bitch Better Have My Money

Rihanna demorou pra voltar e lançou esse ano três faixas inéditas, mas apenas uma conseguiu grudar na cabeça de todo mundo. Toda braba, “Bitch Better Have My Money” é um vislumbre maravilhoso do que podemos esperar do quase utópico álbum ANTI.

5. Of Monsters and Men – Empire

“Crystals” é o grande atrativo do álbum Beneath the Skin, que vem rendido aos islandeses do Of Monsters and Men muito mais respeito e notoriedade no meio indie após a ótima estreia da banda lá em 2011 com My Head Is An Animal. Entretanto, o grande trunfo é sem dúvidas a grandiosa “Empire”. Sim, grandiosa.

4. Grimes – Flesh Without Blood

Dividindo opiniões a respeito da roupagem musical de seu novo álbum, Art Angels, e pouco se importando com isso, Grimes também aparece aqui com uma das músicas mais legais já lançadas esse ano.

3. Selena Gomez – Good For You

O primeiro álbum de Selena Gomez fora da Hollywood Records trouxe um excelente carro-chefe e apresentou uma Sel mais madura, sensual, fora da caixinha e, acima de tudo, confiante.

“Gonna wear that dress you like, skin-tight
Do my hair up real, real nice
And syncopate my skin to your heart beating”

Todos os atributos somados à sonoridade envolvente de “Good For You” só servem para provar de que ela merece todos os aplausos e méritos pela sua excelente nova fase.

2. Madonna – Ghosttown

Apesar de ter sofrido um baita golpe digital no final do ano passado, quando várias demos do seu até então vindouro Rebel Heart cairam na internet, Madonna conseguiu virar o jogo e segurar uma única faixa inédita ao anunciar a pré-venda do disco. Quem acompanha de perto a carreira da Rainha do Pop sabe que fazia tempos que ela não lançava uma balada tão incrível como “Ghosttown”, ainda mais com um teor tão sentimental.

“When the world gets cold, I’ll be your cover
Let’s just hold onto each other”

Em suma, “Ghosttown” é Madonna em sua forma mais apaixonada possível desde Something to Remember/Ray Of Light.

1. Florence and the Machine – What Kind of Man

Quem vem acompanhando nossos posts de lá pra cá, certamente poderia deduzir que o primeiro lugar só poderia ser da banda de Florence Welch. “What Kind Of Man” foi lançada simultaneamente com o seu clipe, fator que contribuiu muito positivamente para a “experiência de primeira audição” de muita gente.

“I already had a sip, so I’d reasoned I was drunk enough to deal with it.
You were on the other side like always, you could never make your mind.
And with one kiss you inspired a fire of devotion that lasted 20 years.
What kind of man loves like this?”

Libertadora, caótica, intensa, dramática. Uma verdadeira droga musical capaz de despertar simultaneamente os mais diversos sentimentos em quem ouve.

João Batista
Dono, idealizador e fundador do labirinto. Genioso, carioca que não sabe sambar e amante da cultura pop desde 1991.